Cenário atual do mercado

As mudanças ocorrem rapidamente, o que exige decisões ágeis.

O primeiro trimestre de 2021 acusou crescimento de 31% no segmento de telecom em relação ao mesmo período do ano passado. “É uma grande notícia para o varejo, diz Felipe Mendes, presidente da GfK para a América Latina. “Houve uma interessante troca de telas, as pessoas passaram a procurar as maiores”, explica.

O que se observa, nos últimos meses, é que o crescimento das categorias vem se dando com o incremento de tecnologia e conectividade nos produtos. “O home office é uma oportunidade para os negócios, os estudos mostram que 18% dos consumidores compraram produtos antes do planejado. A casa é o novo escritório das famílias”, conta Felipe. De janeiro a março de 2021, a demanda por monitores subiu 16%.

Esse conceito do home office alavancou as vendas de outras categorias, como a de eletroportáteis de cozinha, que, mundialmente, cresceu 30% nos três primeiros meses do ano ante 2020. Itens como cafeteiras e fritadeiras passaram a fazer parte do dia a dia.  Cuidados pessoais acusou aumento de vendas de 25%  30%. “Entre os consumidores, 49% procuram produtos e serviços que os ajudem a ter um estilo de vida saudável”, diz Felipe.

O Brasil, particularmente, começou 2021 com maior confiança do consumidor, embora ele siga preocupado com a pandemia, mas se desespera com a inflação, explica o presidente da GfK. “Elementos econômico definem a confiança em relação ao futuro.  As classes alta e média puxam a retomada do consumo, como não estão comendo fora e nem viajando, trocam os produtos.”.

Como o mercado muda muito rapidamente, é preciso decisões ágeis. “Vai haver necessidade de gestão ativa de promoções. É importante compreender o hoje para planejar o amanhã”, afirma o executivo. Isso vale para empresas e canais, inclusive o e-commerce, pois uma boa entrega é o fim de um bom processo de venda.

Compartilhe (Share)

Faça um comentário

ver todos comentários