Confiança na indústria tem maior nível desde 2011

Resultado sinaliza melhora no ambiente de negócios e avanço de projetos importantes, segundo especialistas da FGV.

Desde abril de 2011, o mercado industrial não sentia avanços significativos no índice de Confiança, mas segundo resultados da Fundação Getulio Vargas (FGV), o mês de outubro finaliza com um avanço de 4,5 pontos, totalizando 111,2, em uma escala de até 200 pontos, no Índice de Confiança na Indústria (ICI), se comparado com o final do mês de setembro, quando o percentual estava em 106,7. Este é o maior nível nos últimos nove anos, quando o ICI era de 111,6 pontos.

O crescimento é decorrente da avaliação positiva dos empresários em relação ao mercado e a perspectiva de melhora para os próximos meses. Por isso, o Índice de Situação Atual obteve um aumento de 6,4 pontos, gerando um resultado de 113,7 pontos, o maior nível desde os 116,4 pontos de junho de 2010. Também houve crescimento de 2,5 pontos no Índice de Expectativas, que chegou a 108,6 pontos percentuais, o maior nível desde maio de 2011 (110,0).

Segundo a estimativa traçada pela Sondagem da Indústria, outubro também teve crescimento de 1,6 ponto percentual no Nível de Utilização da Capacidade Instalada da Indústria (NUCI), atingindo 79,8%, o maior número desde novembro de 2014 (70,3%). Com isso, o mercado industrial ficou próximo do nível de 79,9%, visto na média de janeiro de 2001 a fevereiro de 2020.

Para Paulo Castelo Branco, presidente executivo da Abimei – Associação Brasileira dos Importadores de Máquinas e Equipamentos Indústrias, o aumento no índice de confiança na indústria é fator extremamente significativo para a retomada do mercado brasileiro, mesmo durante a pandemia do novo coronavírus. “Essa confiança significa que haverá melhora no ambiente de negócios e avanço de projetos importantes, que foram paralisados após o início da crise causada pela pandemia”, sinaliza. 

Fonte: Missão Comunicação

Compartilhe (Share)

Faça um comentário

ver todos comentários