GREEN ELETRON: Sistema coletivo de logística reversa ou individual: qual escolher?

Ademir Brescansin, gerente-executivo da Green Eletron

Com a assinatura do Acordo Setorial para a Logística Reversa – que responsabiliza fabricantes, importadores, comerciantes e distribuidores pela destinação correta dos eletroeletrônicos que colocam no mercado no seu pós-uso –, muitos se questionam sobre qual é o melhor sistema de logística reversa: coletivo ou individual? Os dois são permitidos no documento e cumprem a mesma função: nos anos de 2021 a 2025, instalar 5.050 pontos em 400 cidades e reciclar 17% do que colocaram no mercado no ano de 2018.

“Além da operacionalização da logística reversa, o primeiro grande desafio é fechar parcerias com o comércio para a instalação dos pontos de coleta nos municípios predeterminados.”

No coletivo, a gestão da operação é feita por uma entidade, sem fins lucrativos, e os custos são divididos proporcionalmente entre as empresas associadas. É este o caso das 65 empresas associadas à Green Eletron. Em um sistema individual, a empresa implementa, gerencia e custeia sozinha todas as etapas definidas no Acordo Setorial.

Além da operacionalização da logística reversa, o primeiro grande desafio é fechar parcerias com o comércio para a instalação dos pontos de coleta nos municípios predeterminados.

Seja em um sistema coletivo seja no individual, o importante é pensar nas estratégias da companhia e analisar as melhores possibilidades para somar forças na reciclagem de eletroeletrônicos e atingir as metas.

Fonte: Revista Eletrolar News ed. 139

Compartilhe (Share)

Faça um comentário

ver todos comentários