As 100 marcas de varejo mais valiosas do mundo

Segundo ranking da Brand Finance, nenuma das 100 marcas de varejo mais valiosas do mundo é brasileira e apenas uma é da América Latina. O que falta para as companhias da região?

Um  levantamento da consultoria inglesa Brand Finance, especializada em avaliação de marcas, revela nesta quarta-feira, 17, as 100 marcas de varejo mais valiosas globalmente. Segundo estudo, varejistas de diferentes segmentos foram afetados pela pandemia e as marcas de e-commerce se saíram melhor, registrando um crescimento médio do valor da marca de 38%, enquanto as lojas de departamento, por exemplo, perderam 11% do valor da marca em média.

Para chegar ao resultado, a consultoria utiliza uma metodologia que além de calcular o valor da marca, o Brand Finance também determina a força relativa das marcas por meio de um scorecard balanceado de métricas que avalia o investimento em marketing, o patrimônio das partes interessadas e o desempenho dos negócios. Certificada pela ISO 20671, a avaliação da Brand Finance sobre o patrimônio líquido das partes interessadas incorpora dados originais de pesquisa de mercado de mais de 50.000 entrevistados em quase 30 países e em mais de 20 setores.

No topo do ranking, a Amazon registrou um crescimento de 15% no valor da marca para US$ 254,2 bilhões. Segundo o relatório, a gigante é uma das poucas marcas que se beneficiaram consideravelmente com a pandemia e o aumento sem precedentes na demanda resultante, à medida que os consumidores ficavam online após o fechamento de lojas.

Além disso, o recente anúncio de que o fundador e CEO Jeff Bezos está deixando o cargo, pode marcar uma nova direção positiva para a marca que se encontra no centro de controvérsias, desde a cobertura negativa de seu divórcio, alegações de mau tratamento aos trabalhadores e críticas à aparente relutância de Bezos em usar a riqueza para fins filantrópicos.

“Desempenhando um papel crucial no apoio a um novo modo econômico de bloqueio, a Amazon se encontra no centro das atenções mais do que nunca. Muitos consumidores acabam confiando na experiência de compra refinada que a Amazon oferece, mas a marca tem críticos”, diz Richard Haigh, diretor administrativo da Brand Finance. 

Alibaba.com também viu um aumento impressionante em sua pontuação de BSI, de 11,3 pontos para 88,5 em 100, tornando-se a segunda marca de varejo mais forte do mundo. As subsidiárias do Alibaba Group, Taobao, com aumento de 44% para US $ 53,3 bilhões, e Tmall, com aumento de 60% para US $ 49,2 bilhões, tiveram sucessos paralelos.

A história é semelhante para a JD.com, que teve um aumento de 82% no valor da marca para US $ 23,5 bilhões, após um aumento de 30% em sua contagem anual de compradores – seu ritmo mais rápido em dois anos. A marca japonesa de e-commerce, Rakuten, também lucrou com um aumento impressionante no valor da marca, com aumento de 49% para US $ 7,7 bilhões, e simultaneamente saltou 8 posições para 26º lugar no ranking.

O segundo subsetor mais valioso, atrás do comércio eletrônico, são os supermercados. 37 marcas de supermercados figuram no ranking Brand Finance Retail 100 2021, com valor acumulado de US $ 185,3 bilhões. Neste ano, os supermercados aumentaram os valores das marcas em 6%, em média. Os dois supermercados mais bem classificados são os alemães Aldi e Lidl, apresentando um aumento de 8% no valor da marca e uma redução de 9% no valor da marca, respectivamente.

Novas participantes

Apesar de não ter uma marca do Brasil, o ranking agora inclui marcas de países que não foram representados antes. O Mercado Livre entra no ranking na 68ª posição com um valor de marca de US$ 2,8 bilhões. Fundada em 1999, o mercado online e a plataforma de e-commerce eram parcialmente propriedade da gigante do varejo eBay (aumento de 2% para US $ 8,3 bilhões) até 2016. A marca continua a crescer cada vez mais, registrando de forma consistente números de usuários registrados, que chegou a 320,6 milhões no final de 2019.Uma das marcas mais reconhecidas da Polónia, a retalhista de descontos Biedronka (mais 3% para 2,0 mil milhões de dólares) entra no ranking pela primeira vez como a 79ª marca de retalho mais valiosa do mundo. A Biedronka possui a maior rede de retalho do país com mais de 3.000 supermercados em mais de 1.000 localidades. É também o maior empregador privado da Polónia, apoiando 70.000 locais de trabalho em todo o país.

Por último, o finlandês Kesko reivindica o 95º lugar com um valor de marca de US $ 1,5 bilhão. Com mais de 1.200 lojas K-food em todo o país, com impressionantes 1,2 milhão de visitas diárias de clientes, a Kesko é conhecida por seus produtos de qualidade e se orgulha de estocar altos níveis de produtos finlandeses. Comemorando seu 80º aniversário ano passado, a marca continua a ganhar participação de mercado.

Brasil

O ranking não possui nenhuma marca brasileira presente, segundo Eduardo Chaves, presidente da consultoria no Brasil, as marcas varejistas não têm receita comparável às receitas de marcas do varejo internacional. “O câmbio não favorece o valor em dólar de marcas nacionais para que apareçam entre as 100 maiores marcas do varejo global. O Brasil detém diversas marcas fortes e memoráveis, no entanto precisamos de estímulos tecnológicos e distribuição global para figurar entre as maiores marcas varejistas internacionais”, afirma.

As três maiores marcas varejistas brasileiras, segundo o ranking publicado exclusivo pela Exame em 2020 foram Renner, Magazine Luiza e Lojas Americanas com valor de U$754 milhões, U$748 milhões e U$696 milhões, respectivamente.

2021 Rank

  1. Amazon
  2. Walmart
  3. Taobao
  4. Home Depot
  5. Tmall
  6. Alibaba.com
  7. Lowe’s
  8. Costco
  9. CVS
  10. JD.com
  11. Target
  12. IKEA
  13. Walgreens
  14. Aldi
  15. Lidl
  16. Sam’s Club
  17. Tesco
  18. Sephora
  19. Dollar General
  20. 7-Eleven
  21. Woolworths
  22. eBay
  23. E.Leclerc
  24. Carrefour
  25. Publix
  26. Rakuten
  27. TJ Maxx
  28. Asda
  29. Kroger
  30. Best Buy
  31. El Corte Inglés
  32. Circle K
  33. AutoZone
  34. Coles
  35. Whole Foods
  36. Suning
  37. Carmax
  38. Mercadona
  39. Zalando
  40. Ross Dress For Less
  41. Marshalls
  42. Yonghui Superstores
  43. Sainsbury’s
  44. Edeka
  45. QVC
  46. Leroy Merlin
  47. Safeway
  48. O’Reilly Auto Parts
  49. Conad
  50. AEON
  51. Kohl’s
  52. JD Sports
  53. Kaufland
  54. Macy’s
  55. SPAR
  56. COOP
  57. Dollar Tree
  58. Nordstrom
  59. Morrisons
  60. Don Quijote
  61. Boots
  62. Advance Auto Parts
  63. Pyaterochka
  64. Tractor Supply
  65. Nitori
  66. E-Mart
  67. Canadian Tire
  68. MercadoLibre
  69. Dick’s Sporting Goods
  70. Wayfair
  71. Marks & Spencer
  72. Esselunga
  73. Harvey Norman
  74. 58.com
  75. Auchan
  76. Stop & Shop
  77. Magnit
  78. Shoppers Drug Mart
  79. Biedronka
  80. Loblaws
  81. Family Dollar
  82. Lawson
  83. Metro
  84. Real Canadian Superstore
  85. Ulta Beauty
  86. Longs Drug
  87. Bunnings
  88. Food 4 Less
  89. B&M
  90. Sogo
  91. Food Lion
  92. Ito-Yokado
  93. Burlington
  94. ASOS
  95. Kesko
  96. Netto Marken-Discount
  97. Foot Locker
  98. Dufry
  99. Michaels
  100. Dmart

Fonte: Exame.com

Por: Marina Filippe

Compartilhe (Share)

Faça um comentário

ver todos comentários