Via Varejo e ESG – Por um futuro mais sustentável

É cada vez maior o interesse por investimentos que privilegiam práticas de responsabilidade ambiental, social e de governança - ESG

É cada vez maior o interesse por investimentos que privilegiam práticas de responsabilidade ambiental, social e de governança (resumidos pela sigla em inglês ESG). Uma pesquisa da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) mostrou que 85,4% dos gestores de investimentos do País já sabem o que é ESG e usam os critérios para tomar decisões.

Os critérios ESG sempre estiveram no DNA da Via Varejo e neste momento, seguem cada vez mais presentes no desenvolvimento de novas políticas e iniciativas. De acordo com Roberto Fulcherberguer, CEO da companhia, um dos principais legados da pandemia é o novo papel social das empresas com a sociedade civil. Esses indicadores auxiliam não apenas na captação de novos investidores, mas diminuem danos ambientais e promovem um desenvolvimento social mais sustentável.

  • Como foco na sociedade, a Fundação Casas Bahia, braço social da Via Varejo, que completa 60 anos em 2021, realizou, no último ano, um investimento social 74% superior a 2019, para minimizar os impactos causados pela pandemia. No total, mais de 114 mil pessoas foram beneficiadas diretamente pelas ações da Fundação.
  • Em 2020, a Fundação Casas Bahia também auxiliou 2 mil empreendedoras, por meio do Fundo Emergencial Mulher Empreendedora (F.E.M.E.) que, em parceria com a Aliança Empreendedora, selecionou mulheres e destinou R$ 500 para cada, como forma de incentivar o investimento no próprio negócio. As selecionadas ainda participaram de treinamentos voltados para gestão e educação financeira – ao todo, R$ 1 milhão foram disponibilizados neste projeto. 
  • Preocupada com o meio ambiente, a Via Varejo conta com uma usina solar em Minas Gerais, responsável por fornecer 100% da energia elétrica que abastece 79 lojas no estado. Além disso, em 2019, concluiu a contratação de duas usinas solares para o Rio de Janeiro, que atenderá 57 filiais no estado e gerará aproximadamente 6GWh. O início dessas operações está previsto para o primeiro trimestre de 2021.
  • A companhia ainda investiu na ampliação do seu programa de logística reversa de eletroeletrônicos. Depois de atingir mais de 200 pontos de coleta de eletroeletrônicos nas lojas Casas Bahia e Pontofrio no estado de São Paulo, ampliou a iniciativa para todo o país, chegando a 400 pontos no último ano.

Em parceria com a Green Eletron, o programa que começou com 32 coletores já realizou a coleta de mais de três toneladas de resíduo eletrônico, incluindo telefones, pilhas, peças e cabos de impressoras, computadores, televisores, cafeteiras, entre outros eletrônicos e eletro portáteis de pequeno e médio porte

Compartilhe (Share)

Faça um comentário

ver todos comentários