A Daikin Brasil lança linha de purificadores de ar com tecnologia Streamer

Pesquisa da Universidade de Osaka comprova a inativação do coronavírus em 99,9%. O produto já está disponível nas principais lojas de varejo e e-commerce.

Clique aqui para escutar a notícia

A Daikin Brasil lança sua linha de purificadores de ar com tecnologia Streamer, que elimina odores, poluentes e microorganismos do ambiente, incluindo o coronavírus. Segundo pesquisa realizada pela Universidade de Osaka, no Japão, a capacidade de inativar o vírus e suas variantes, incluindo a Ômicron, chega em 99,9% após 3 horas de uso. 

Os aparelhos filtram, limpam, e devolvem ao cômodo um ar purificado através do uso da tecnologia Streamer, exclusiva da Daikin. Com descargas de plasma, o purificador libera íons que se combinam com o oxigênio e nitrogênio existente no ar, formando componentes com alto poder de decompor odores, fungos, bactérias e outros alérgenos. O potencial de oxidação é comparável à energia térmica de 100.000°C (uma medida de comparação que não tem relação com a temperatura dentro do aparelho). 

Roberto Yi, presidente da Daikin Brasil, destaca que a tecnologia Streamer chega ao mercado com o intuito de trazer mais qualidade de vida e conforto para quem busca um purificador de ar de alta performance. “Quando falamos em qualidade de vida, alguns fatores são primordiais, e o ar que respiramos claramente está entre eles. Por isso investimos em tecnologia exclusiva e eficiência energética para oferecer o melhor nesta categoria. Os purificadores são modernos, compactos, silenciosos e acreditamos que é um produto bem-vindo em residências e essencial em estabelecimentos como salas de aula/treinamentos, clínicas, consultórios, academias e espaços comerciais de pequeno e médio portes”, ressalta. 

A partir deste mês, será encontrar o produto em duas versões: Purificador de Ar Streamer com Umidificador Modelo 55 e Purificador de Ar Streamer Modelo 55/40. Todos estarão disponíveis nas principais lojas do varejo e também no e-commerce da marca. 

Filtro

O purificador faz a sucção do ar ambiente em três direções e captura as partículas menores com um filtro HEPA eletrostático. Diferentemente de um filtro comum, que retém partículas com a espessura da malha, esse usa a eletricidade estática, o que promove filtragem muito mais eficiente mesmo com poros maiores, o que diminui a resistência ao fluxo de ar. Na fase final de purificação, as partículas e microorganismos retidos são decompostos com a tecnologia Streamer, capaz de remover 99% das substâncias nocivas. 

Outro diferencial é a presença de um filtro desodorizante que permite a adsorção de odores que podem não afetar a saúde respiratória, mas tornam o ambiente desconfortável, como odor de lixo, de fumaça de cigarro ou de cozinha. Geralmente, filtros desse tipo requerem troca constante, pois as moléculas de odor vão se aderindo ao filtro e reduzindo sua capacidade. No caso do purificador de ar Daikin, a tecnologia Streamer decompõe esses agentes retidos, regenerando o filtro, o que elimina a necessidade de sua substituição. 

Os purificadores Daikin com umidificador contam com uma autolimpeza que usa íons de prata como agente bactericida, o que torna todo o sistema muito mais durável e seguro para a saúde, além da própria ação do Streamer que contribui para inibição destes fungos e bactérias. 

Entre as impurezas, estão: 

  • Poeira doméstica;
  • Pelos e caspas de cachorros, gatos e hamsters;
  • Odores de cozinha, lixo e até corpóreo (suor);
  • Pólen;
  • Fumaça de cigarro e de charutos;
  • Ácaros mortos e bolores;
  • Gases de combustão;
  • Amônia;
  • Partículas inaláveis com diâmetro inferior a 2,5 micrômetros;
  • Compostos orgânicos voláteis de solventes em geral (repelentes, produtos de limpeza, tintas, cola, combustíveis e outros).

O estudo demonstrou que a exclusiva tecnologia Streamer Daikin foi eficiente na inativação do coronavírus e suas variantes Alfa, Beta, Gama, Delta e Ômicron. Segundo os testes, quando submetido às partículas ativadas pelo Streamer, o coronavírus foi inativado em 99,9% após três horas de exposição. Em 1h, a taxa de inativação já chega a 93,7%, e em 2h, a 99,8%. As investigações foram realizadas entre junho de 2021 e janeiro de 2022 em colaboração com o Professor Tatsuo Shioda e o Professor Assistente Tadahiro Sasaki, do Departamento de Infecções por Vírus, vinculado ao Instituto de Investigação para Doenças Microbianas da Universidade de Osaka (Japão).

Ficha técnica

Fonte: Daikin

Compartilhe (Share)

Faça um comentário

ver todos comentários