Artigo GREEN ELETRON

ABINEE, ASSOCIAÇÃO FUNDADORA DA GREEN ELETRON

LOGÍSTICA REVERSA: MAIS DO QUE APENAS UMA OBRIGAÇÃO

Henrique Mendes, gerente de sustentabilidade

A Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) publicou um estudo que mostra que o Estado perde R$ 1 bilhão em resíduos recicláveis por ano. A pesquisa ajuda a entender a mudança de paradigma que atravessamos na sociedade.

Quando a Política Nacional de Resíduos Sólidos foi publicada, em 2010, trouxe a obrigação da criação de Sistemas de Logística Reversa aos fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes, que, na época, a receberam apenas como uma despesa extra.

Mas, com o amadurecimento do diálogo, essa percepção mudou. Hoje, um grupo crescente de empresas compreende o tema como uma engrenagem fundamental para a migração dos modelos de negócio rumo a uma economia mais circular.

O estudo da Firjan é uma das provas dessa mudança. Além disso, diversos fóruns debatem a economia circular, nas revisões de normas técnicas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e da Comissão Eletrotécnica Internacional (IEC), nos grupos de trabalho geridos pela Confederação Nacional da Indústria ou na elaboração de novas normas ISO.

É urgente romper a dinâmica de geração de lixo e aumentar a vida útil dos materiais, aproveitando ao máximo o valor dos recursos extraídos e transformados. A partir dessa conduta, abrimos espaço a novos modelos de negócio, propostas de valor e formas de relacionamento com os consumidores. A logística reversa é uma necessidade que vai muito além da obrigação legal.

Fonte: Revista Eletrolar News #145

Compartilhe (Share)

Faça um comentário

ver todos comentários