ELETROS – Indústria aguarda retomada mais rápida do consumo

José Jorge do Nascimento Júnior, presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos – Eletros

O setor de eletroeletrônicos fechou 2019 com perspectiva positiva para 2020. Observamos uma retomada no consumo, ainda um pouco lenta, mas consistente, revelando que o governo brasileiro vem acertando em muitos aspectos de sua agenda macroeconômica.

Os dados da Eletros indicam crescimento de 5% no volume de produção na comparação com os resultados verificados em 2018. Repetimos o desempenho registrado no comparativo entre os anos de 2018 e 2017 e nos mantivemos no piso de nossas projeções, que indicavam crescimento de 5% a 10%.

Tivemos crescimento de 7,8% na produção de linha branca, 6% na linha marrom e 17,8% em eletroportáteis. Chamam a atenção o desempenho dos eletroportáteis, mais acessíveis a uma maior fatia população, e a recuperação da linha branca, que havia crescido menos de 1% em 2018. O crescimento de 6% na linha marrom não é nada mau, pois em 2019 não tivemos Copa do Mundo, período em que as vendas de televisores aumentam consideravelmente.

Ao compararmos os dados da indústria de eletroeletrônicos com os da economia brasileira, poderíamos até nos dar por satisfeitos, afinal os principais analistas do mercado financeiro estimam para 2019 um PIB positivo de 0,6% a 1%. Entretanto, não podemos desconsiderar que a indústria vem de uma série de anos difíceis, em especial desde 2015.

“As reformas tributária e administrativa, a abertura comercial e ações que visam à melhoria da competitividade de nossa indústria são temas prioritários.”

Apenas uma economia mais forte, com maior oferta de empregos e de renda para as famílias, é que promoverá uma mudança mais significativa para a indústria, ampliando a capacidade de nossas fábricas, aumentando a contratação de mão de obra e realizando investimentos mais substanciosos.

Se em 2019 tivemos a aprovação da Reforma da Previdência, neste ano alguns desafios igualmente importantes para o Brasil e para o setor fazem parte da agenda estratégica da Eletros. As reformas tributária e administrativa, a abertura comercial e ações que visam à melhoria da competitividade de nossa indústria são temas prioritários.

Estamos preparados e confiantes para que 2020 seja um ano melhor para nossa indústria. Projetamos novamente crescimento entre 5% e 10% para nossa produção, mas alimentamos a expectativa de que desta vez nos aproximemos mais do teto. Se isso se concretizar, poderemos ter a certeza de que vivenciaremos uma realidade socioeconômica mais positiva para toda a população brasileira.

Fonte: Revista Eletrolar News ed. 135

Compartilhe (Share)

Faça um comentário

ver todos comentários