ELETROS: Mais um ano decisivo pela frente

Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros)

Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros)

José Jorge do Nascimento Jr. , presidente



Foi com um certo alívio que encerramos 2020, que já ficou marcado na história de todos nós por conta da mais relevante crise sanitária global dos últimos 100 anos, com importantes reflexos econômicos e sociais.

Fomos obrigados a nos reinventar sob diversos aspectos, ou seja, pessoais, profissionais e nos negócios. Enfrentamos uma carga de desafios que, talvez, nunca tivesse sido suportada pela indústria brasileira de eletroeletrônicos.

Logo após um primeiro trimestre estável, de crescimento tímido, fomos forçados a lidar com um ambiente caótico com mais de 80% de nossas fábricas paralisadas, grandes centros comerciais em lockdown e uma grave crise logística que afetou empresas de todas as nossas linhas setoriais no segundo semestre.

Esse cenário mais do que desafiador provocou graves perdas e uma necessidade de procurar alternativas de estímulo ao consumo e, consequentemente, novos meios de sustentação dos nossos negócios.

Fomos surpreendidos de forma muito positiva pelos bons indicadores, que demonstraram reação na economia, revelando acerto do governo, e que nos permitiram registrar um terceiro trimestre de forte recomposição em nossas perdas e um quarto trimestre igualmente positivo, impulsionado pela Black Friday e Natal.

Acreditamos que existe uma forte convergência de interesses entre os diversos setores econômicos, assim como por parte dos trabalhadores, para que tenhamos em 2021 um cenário mais estável, com a continuidade das políticas de estímulo ao consumo e com perspectivas de crescimento econômico com foco na geração de renda para todos.

Entretanto, a crise sanitária não apenas continua como sofreu um agravamento por conta da segunda onda, que chegou com força ao Brasil, além de outros fatores preocupantes como uma diversidade na variação das cepas do novo coronavírus, tornando-o ainda mais transmissível.

Dessa forma, se a necessidade de imunização estava na agenda global de prioridades, este novo e grave cenário faz com que o tema ganhe altíssima urgência. Confiamos e contamos com a capacidade do Poder Público, incluindo o Governo Federal e os Governos Estaduais, de solucionarem todos os gargalos para que consigamos suprir essa demanda de vacinas e insumos.

2021 promete ser mais um ano decisivo para nosso país. Empregaremos todos os nossos esforços e expectativas para contribuir para o restabelecimento da economia e a superação da crise sanitária.

Fonte: Revista Eletrolar News – Edição 141

Compartilhe (Share)

Faça um comentário

ver todos comentários