ELETROS – Não é o momento de entregarmos os pontos

José Jorge do Nascimento, presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos – Eletros

Não tem sido fácil para todos nós, sociedade e setor produtivo, esta fase crítica de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

Enquanto do lado da saúde pública ultrapassamos uma dezena de milhares de vítimas da Covid-19, do ponto de vista econômico e social os desafios se agravam e trazem consequências preocupantes para a economia, os trabalhadores e para a renda das famílias.

A Eletros segue trabalhando sem medir esforços neste momento delicado para a condução de uma articulação efetiva junto ao poder público, visando a ações e resultados fundamentais para garantir a sustentabilidade do nosso setor, das suas operações industriais e de todas as demais obrigações que dependem da liquidez das empresas.

Ainda que, no início da crise, as medidas adotadas diante das alternativas apresentadas pelo poder público federal tenham sido positivas, sabemos que para um período próximo essas mesmas alternativas poderão não ser mais suficientes, e passaremos a enfrentar perdas de toda ordem: de capital, de oferta, de demanda, de postos de trabalho e de mercado. E isso não apenas no setor eletroeletrônico.

Ou seja, não obstante as políticas públicas de resposta à crise causada pelo novo coronavírus, o nível de confiança de cada brasileiro sofrerá uma recuperação lenta e cautelosa, apresentando novos contornos para o que será a economia em tempos de um “novo normal”.

A nossa responsabilidade social e econômica faz diferença em todo esse cenário.

Portanto, é urgente e importante continuar confiando – e demandando – que o poder público, em todas as suas esferas, entregue à sociedade e ao setor privado as soluções necessárias para amparar as suas carências na dose exata. Porque só assim, no momento certo, estaremos todos prontos para retomar as atividades de forma responsável e trabalhar para o crescimento do Brasil, com geração de emprego, de renda e oportunidade de negócios para todos.

A nossa responsabilidade social e econômica faz diferença em todo esse cenário. E por isso, com orgulho, destaco que a nossa indústria tem trabalhado para construir os seus melhores resultados mesmo diante das adversidades, sem deixar de enxergar que cada colaborador importa muito!

Seguimos em nossos diálogos com todos os níveis de poder, afirmando e comprovando que o setor eletroeletrônico respeita políticas públicas, números e, principalmente, as pessoas.

Fonte: Revista Eletrolar News ed. 136

Compartilhe (Share)

Faça um comentário

ver todos comentários