O Brasil precisa reencontrar-se com o progresso

José Jorge do Nascimento Júnior, presidente da Eletros

O Brasil requer, neste momento, muita atenção por parte de todos nós. Cada um no seu papel, mas trabalhando juntos para que possamos avançar. O início do ano sinalizou uma retomada crescente da economia.

Hoje, os indicadores, que chegaram a mostrar uma evolução do Produto Interno Bruto (PIB) em torno de 3%, estão sendo revisitados por especialistas e se aproximam de 1%. E isso é pouco para um País que precisa atender a todas as expectativas em torno do futuro, considerando a sua extensa lista de necessidades e, portanto, de prioridades nacionais.

O índice de desemprego, constantemente preocupante, somado à falta de previsibilidade econômica nos proporciona um contexto desfavorável. Todo esse cenário traduz-se ainda em incerteza para aqueles que pretendem investir no País e não estimula o consumidor.

Particularmente, apesar de uma visão sempre otimista, a realidade tem me trazido convicções preocupantes. Isso porque, para o segmento eletroeletrônico, a demanda por bens de consumo costuma ser um termômetro implacável sobre a realidade brasileira.

Se há incerteza sobre emprego, oportunidades e futuro, os sonhos dos consumidores são imediatamente adiados. Isso desaquece a economia, reverbera nos resultados do nosso setor e impacta diretamente o PIB nacional.

É imperiosa e inadiável a mudança desse ambiente negativo para que entremos de fato em um círculo virtuoso. Por ora, vivemos dias em que acreditamos que a reforma da Previdência será o início de todas as soluções.

E não deixa de ser. É um grande passo para a reorganização das finanças públicas, e o seu sucesso, de forma equilibrada e isonômica, pode significar a recondução do País por caminhos mais produtivos, com mais investimentos públicos em áreas fundamentais para o progresso do Brasil, como infraestrutura. A reforma previdenciária acontecerá e tem que ocorrer o quanto antes.

Ainda assim, temos muito mais a percorrer. E o desafio será caminhar incessantemente, com olhar firme à frente, rumo a um desenvolvimento econômico e social sustentável, que garanta estabilidade suficiente para que olhem o nosso País como um ambiente seguro para investimentos e com perspectivas de prosperidade.

Credibilidade, estabilidade jurídica e mercado consumidor aquecido são fundamentais para a atração de investimentos, geração de emprego e, enfim, ascender da base inferior das curvas de crescimento.

Temos uma diversidade encantadora e desafiadora de cidadãos e muita criatividade e vontade para voltar a crescer. Toda a sociedade tem que estar unida e comprometida com o progresso da nação. Juntos, certamente faremos com que esse atual capítulo de crise econômica seja apenas mais uma pequena parte da nossa rica história.

 

Fonte: Revista Eletrolar News ed. 130

Compartilhe (Share)

Faça um comentário

ver todos comentários