PIX deve iniciar operações no próximo trimestre

O sistema de pagamento promete muda a forma de fazer compras e transferências monetárias.

O Banco Central anunciou recentemente o lançamento do PIX, sistema de pagamento que promete mudar a forma de fazer compras e transferências monetárias. Atualmente, as transferências entre bancos distintos são realizadas via TEDs e DOCs, e os pagamentos feitos por meio boleto, cartão de crédito ou débito. Essas transações podem demorar até mais de dois dias para serem realizadas, como é o caso do boleto, e algumas horas dependendo do horário, caso dos TEDs. Com o PIX, todas elas serão imediatas, independente do dia ou horário da semana, levando no máximo 10 segundos para serem efetivadas.

O novo serviço será útil para todos: grandes empresas, pequenos negócios e pessoa física. Qualquer vendedor pode se cadastrar e aceitar o PIX como pagamento, com o dinheiro caindo na conta imediatamente, o que nem sempre acontece quando ele é realizado via cartão de crédito. Desta forma, fica muito mais fácil para um lojista ou comerciante manter o fluxo de caixa organizado..

Para utilizar o serviço, tanto o pagador quanto o recebedor precisam ter conta em algum banco, instituição financeira ou fintech. Será preciso baixar o aplicativo, fazer o cadastro e selecionar como será feito o pagamento. Este pode ser via QR Code ou por meio de chaves de endereçamento (informações como e-mail, CPF/CNPJ ou número de celular. Basta ler o código QR Code ou informar uma das chaves de endereçamento, colocar o valor a ser pago, conferir as informações e inserir a senha.

Benefícios para quem vai pagar via PIX: é mais rápido, barato, seguro, simples e prático; evita andar com dinheiro físico (papel moeda) e possibilita a integração com outros serviços.

Para quem vai receber via PIX os benefício são: redução de custos, receber imediatamente, melhorando o fluxo de caixa, e dispensar o uso da máquina do cartão.

A expectativa é que o PIX comece a operar em novembro de 2020. O Banco Central anunciou que mais de 980 instituições financeiras já solicitaram a adesão. Bancos e fintechs com mais de 500 mil contas são obrigados a participar da modalidade.

O PIX será gratuito para pessoas físicas e permitirá saques por meio de lojas da rede varejista que não fazem parte do sistema financeiro.  “O que posso adiantar é que essa facilidade visa trazer mais eficiência por meio da reutilização do dinheiro no varejo e do aproveitamento dessa rede, e fomentar a competição, ampliando as opções e a capilaridade das instituições para ofertarem o saque”, disse Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central.

Fonte: Eletrolar News – Por Leda Cavalcanti

Compartilhe (Share)

Faça um comentário

ver todos comentários