ABRASA: ATs investem em capacitação, inovação e adequação

Associação Brasileira de Pós-Vendas em Eletroeletrônicos

Wagner Gatto, diretor-executivo da Abrasa

Estudos realizados por nossa associação durante a pandemia mostraram que, apesar do significativo crescimento de 5% na quantidade de ordens de serviços no terceiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2019, caiu a rentabilidade da rede de assistências técnicas (ATs). O fato foi sentido por todos os prestadores de serviços de pós-vendas.

Dentre os motivos que levaram à menor rentabilidade, estão a alta significativa do dólar, a falta de alguns insumos e a majoração dos preços para reposição de peças e componentes. Outro fator foi a necessidade de os empreendedores dispenderem receitas para capacitar o trabalho com inovações, ferramentas e tecnologias. Recursos também foram gastos nos processos de atendimentos internos e delivery, para comodidade dos clientes, e na adequação de práticas para cumprir os protocolos dos EPIs, frente às exigências da Vigilância Sanitária.

“As expectativas ainda são de otimismo quanto a um possível fechamento positivo para o presente exercício.”

Apesar das dificuldades expostas, as expectativas ainda são de otimismo quanto a um possível fechamento positivo para o presente exercício. No entanto, as vendas realizadas no período da Black Friday e também nas promoções do final de ano provocarão uma pequena queda na procura por consertos e reparos de alguns produtos.

Fonte: Revista Eletrolar News edição 139

Compartilhe (Share)

Faça um comentário

ver todos comentários